Pular para o conteúdo

9 de dezembro de 2011

10 inovações da IBM

por innovacentro

Empresa é responsável pela criação de inovações que estreitaram os laços entre consumidores e a tecnologia

São Paulo – A IBM completa em 2011 nada módicos cem anos de vida. Se em um século o mundo testemunhou mudanças geopolíticas e atingiu incríveis 7 bilhões de habitantes, dá para esperar que no universo da tecnologia as mudanças tenham sido ainda mais significativas.

Atualmente a empresa é chefiada por Sam Palmisano. A partir de 2012, contudo, quem assume a liderança é Virginia Rometty, a primeira mulher a liderar a Big Blue na história. Muito além dos mainframes que até hoje ainda são associados à marca, a IBM conseguiu assegurar o seu espaço no mercado de software e serviços, estratégia que a ajudou a galgar posições na lista das empresas mais valiosas do mundo. Em setembro, a IBM ultrapassou em valor de mercado outra gigante da computação, a Microsoft.

Entre invenções e inovações que trouxeram a tecnologia dos laboratórios para o dia a dia do cidadão comum, a IBM se confirmou como uma das principais protagonistas nas transformações que tornaram o mundo um lugar mais conectado e moderno. Confira abaixo algumas das maiores invenções e inovações desenhadas pela IBM e que facilitaram, e muito, a vida em tempos de correria.

Uma equipe formada por engenheiros, programadores e jogadores de xadrez, e que foi liderada por John Backus, foi a responsável pela criação da linguagem em 1954. O IBM Mathematical Formula Translation System (Fortran) foi desenvolvido com o objetivo de tornar o uso dos computadores mais acessíveis ao público alvo da máquina na época, matemáticos e cientistas.

A linguagem simplificou a programação e ainda tornou os computadores vinte vezes mais eficazes no reconhecimento e execução de comandos. No início dos anos 70, a IBM voltou a se destacar pela criação de uma linguagem de programação, a SQL, até hoje a mais usada para interagir com bancos de dados.

Apresentado em 1965, o S/360 substituiu todos os computadores então desenvolvidos pela IBM por uma família com arquitetura compatível entre si. Pela primeira vez, foi possível comprar um computador e atualizá-lo à medida que fosse necessário. Além disso, outras empresas conseguiram fabricar equipamentos e aplicativos para as máquinas, compatíveis com o S/360.

1965 – IBM 1050

Desenvolvido nos anos 60, o computador foi um dos primeiros terminais eletrônicos de envio e recebimento de dados. O sistema ganhou notoriedade em 1965, quando foi o responsável pela comunicação entre cientistas, que viveram por três semanas em uma base submarina, e o mundo externo.

O projeto, chamado Conshelf III, foi liderado pelo lendário oceanógrafo francês Jaques Cousteau. O caso ainda ficou marcado como o período mais longo de submersão vivido por humanos.

Desenvolvido no final da década de 60 por uma equipe da IBM em San José, Califórnia, o disquete surgiu pela necessidade de um sistema confiável e barato que pudesse “carregar” instruções, instalar programas e atualizar softwares. Nos primórdios, um disquete era capaz de armazenar a informações de cerca de 3000 cartões perfurados e que eram a tecnologia da época para inclusão de dados e comandos nos computadores. O disco flexível e removível já vendeu mais de 5 bilhões de unidades desde o seu lançamento comercial em 1971.

1969 – Cartão magnético

A tarja magnética associada a um cartão surgiu nos anos 60, quando o engenheiro Forrest Parry estava atrás de uma maneira de fixar a fita a um pedaço de plástico. Quem descobriu, na realidade, como fazer isso foi sua esposa, que sugeriu usar o ferro de passar roupa para aquecer a fita e então grudá-la no cartão. A popularização da tecnologia aconteceu alguns anos depois, quando a IBM e outras empresas do setor, uniram esforços para a criação de um padrão para efetuação de pagamento eletrônico através de cartões de crédito magnéticos.

IBM

Atualmente, a tecnologia vem sendo lentamente substituída por chips, mas o que importa é que as tarjas magnéticas contribuíram e muito para a proliferação do uso dos cartões. As compras efetuadas com cartões de crédito movimentam 6 trilhões de dólares por ano em todo o planeta.

1981 – IBM PC

O IBM PC não foi exatamente o primeiro da história, mas foi um dos responsáveis pela massificação dos computadores como conhecemos. A máquina, lançada em agosto de 1981, era mais rápida que as outras disponíveis no mercado e ainda contava com programas como jogos e processadores de texto. Tais programas ajudaram a levar os computadores dos laboratórios ou universidades diretamente para a mesa de pessoas comuns.

Até 1972, supercondutores só conseguiam ser utilizados a temperaturas extremamente baixas, atingíveis, portanto, em ambientes de temperatura controlada, como laboratórios. Em 1986, os cientistas da IBM Georg Bednorz e Alex Müller encontraram uma maneira de fazer com que esses condutores perfeitos, ou seja, que conduzem energia sem perda ou resistência funcionassem a temperaturas mais amenas.

A descoberta rendeu aos dois um prêmio Nobel de Física em 1987 e permitiu o uso dos novos supercondutores em trilhos de trens de alta velocidade e na produção de energia eólica.

1997 – Supercomputador Deep Blue

A IBM é famosa por muitas inovações, e uma das mais famosas é o desenvolvimento de computadores com alto poder de processamento, os chamados supercomputadores. A empresa aproveita o talento das máquinas que cria de uma maneira curiosa: além de dar nome, tem o hábito de incentivar o duelo das máquinas contra seres humanos. E em dois episódios, os supercomputadores da IBM superaram o cérebro.

IBM

Em 1997, o Deep Blue se tornou o primeiro computador a vencer um humano num jogo de xadrez, em confronto dividido em 6 partidas – das quais 3 foram empates. Esse humano era, no caso, o maior jogador de todos os tempos, Garry Kasparov. O Deep Blue é capaz de analisar 200 milhões de posições por segundo.

Já em 2010, outro supercomputador surge com o objetivo de desafiar o cérebro do homem. A máquina, chamada Watson venceu no começo de 2011 uma equipe de humanos em jogo de perguntas e respostas nos Estados Unidos. Atualmente, Watson é o computador mais poderoso do planeta e sua potência equivale a de 2800 computadores juntos.

2008 – Além do petaflop

Em 2008, o Roadrunner, supercomputador da IBM, foi o primeiro no planeta a operar em uma velocidade acima de um petaflop – que equivale a um trilhão de operações por segundo.

Na época da quebra desta barreira, uma autoridade americana teria dito o seguinte: “Se 6 bilhões de pessoas fizessem cálculos por 24 horas e todos os sete dias da semana, levariam 46 anos para processar o que o Roadrunner conseguiu em um dia”.

Publicado na Revista Exame em 08/12/2011 (por Gabriela Ruic)

Anúncios
Leia mais de Notícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Observação: HTML é permitido. Seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Assinar os comentários

%d blogueiros gostam disto: